terça-feira, abril 26, 2016

de de

Dermatite Atópica

Desde março de 2014, venho enfrentando uma "batalha" diária com a minha filha: A DERMATITE ATÓPICA.
 A dermatite atópica preocupa pais e mães e é um problema que perturba e incomoda muito os pequenos, pois causa coceira e vermelhidão, por deixar a pele seca, sensível e com bolinhas. Nesse caso, resolvi abordar esse assunto aqui no blog para dividir um pouco sobre a nossa experiência, pois, tenho certeza de que compartilhar algumas informações sobre esse assunto será muito importante para outras mães que passam pelo mesmo desafio com seus filhos.

Para quem não sabe, a dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico, é um dos tipos mais comuns de dermatite. É definida como uma doença crônica da pele que apresenta erupções que coçam e apresentam crostas, cujo surgimento é mais comum nas dobras dos braços e da parte de trás dos joelhos. A dermatite atópica pode também vir acompanhada de asma ou rinite alérgica.


Ainda não se conhecem as possíveis causas da dermatite atópica, mas há evidências de que predisposição genética e histórico familiar de atopias influenciam o aparecimento da enfermidade.Sabe-se, também, que alguns fatores de risco funcionam como gatilho das crises. Entre eles destacam-se: substâncias irritantes (poeira domiciliar, conservantes, produtos de limpeza e usados na lavagem das roupas), tecidos de lã e sintéticos, frio intenso, ambientes secos, calor e transpiração, estresse emocional.

Bom, eu não identifiquei a dermatite atópica logo no início, até porque não sabia dessa hipótese. Quando a Ana Letícia estava com 11 meses, começaram a aparecer algumas bolinhas na parte de trás dos joelhos e nas bochechas. Como na época eu estava morando na Tailândia, e lá é muito quente, eu imaginei que pudesse ser devido ao calor (não façam isso, qualquer coisa diferente que a criança apresentar, leve ao pediatra). Como pensei que era um caso de brotoejas, comecei passar a pasta d'agua. Levei a minha filha ao pediatra onde estavamos, e ela me disse que era uma alergia, me passou alguns remédios que não adiantaram muita coisa. Quando voltei ao Brasil, levei ela à uma dermatologista, porque aquela "alergia" não tinha melhorado – muito pelo contrário, a irritação ficava cada vez maior e aparecia em outros lugares. Quando então o diagnóstico foi feito!



Ela me explicou que a maioria dos casos de dermatite atópica se manifesta na primeira infância (até o fim do primeiro ano de vida, 50% dos casos já se manifestaram; e até os 5 anos, 85% das pessoas que terão dermatite atópica na vida já apresentaram os sintomas). Que bebês, as lesões em geral são avermelhadas, podem formar crostas e sempre causam coceiras. Se localizam geralmente no rosto e na parte externa dos membros. E nas crianças maiores, nas dobras de braços e pernas, na do bumbum, no pescoço, também no rosto, muita coceira e é muito comum acontecer vermelhidão e inchaço ao redor dos olhos.


Ana Letícia tem todos esses sintomas, mas, vezes estão mais intensos, em outras horas somem. Nos dias que está intenso ela sempre acorda na madrugada chorando e se coçando muito. Quando ela fica muito suada, as lesões pioram. Por isso é fundamental usar roupas de algodão ao invés de sintéticas, não usar lã, perfume, evitar roupas apertadas, e não colocar amaciante, que pode piorar o problema.

Ela me explicou também que um dos pontos-chaves do tratamento da dermatite atópica, é hidratar muito bem a pele. As pessoas com esse problema apresentam a pele seca e quanto mais hidratada ela estiver, menor a chance das lesões surgirem. Porém, não pode ser qualquer hidratante, tem que ser um hipoalergênico, sem cheiro, sem corantes, ou seja, de preferência formulado para esse uso. Algo que eu também percebi é que quanto mais grossinho for esse hidratante melhor. Achei que hidrata e protege a pele por mais tempo. O hidratante deve ser passado sempre após o banho, mas, se a pele da criança estiver muito seca, deve ser reaplicado algumas vezes durante o dia. 


É fundamental também que o banho seja rápido e não muito quente, justamente para não remover a proteção natural da pele. E o sabonete deve ser específico (Na minha filha uso o sabonete em barra GH). 

E ainda tem mais, tanto o calor quanto o frio intenso tendem a piorar a dermatite atópica. Também se acredita que o estresse e o cansaço podem piorá-la.

E o tratamento para a dermatite atópica?

Quando as lesões ficam piores, em geral os médicos receitam um anti-alérgico via oral. Paralelamente com pomadas que vão amenizar as lesões e coceiras. Mas, prefiro não citar nomes de medicamentos aqui porque é fundamental que a receita seja do pediatra da criança. 

Enfim, eu espero ter ajudado de alguma forma!

E ai, tem alguém ai que passa por isso??? 

Fiquem com Deus. Beijos!

0 comentários:

Postar um comentário